segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Assassinato de reputações - da minha...

Quem me conhece sabe que não é
assim que escrevo, menos ainda se
estiver com raiva - e "contratempos"?
Quando é que eu uso contratempos?
Parece-me que o Capitão Venera - o melodramático policial que tentou transformar a sua ameaça em uma ameça contra a sua vida - está fazendo escola entre a direita de Joinville. Não que isso me surpreenda: o assassinato de caráter tem se tornado uma ferramenta cada vez mais comum no que se passa  por "debate político" no Brasil; Mas certamente me pegou desprevenido o que eu vi ao acordar nesta segunda-feira: O método sujo de difamação que vêm se tornado tão comum foi usado... contra mim. 

Acordei para ver um acalorado debate a respeito do print forjado ao lado. Jamais enviei qualquer mensagem para o senhor Tsö Raz; nunca entrei em contato direto com esse senhor, que tenho razões para suspeitar que trate-se de uma conta falsa - bastante comum para difamar e expressar opiniões "controversas", forjar consenso e similares. Tampouco estava eu online quando a mensagem teria sido enviada - às 22h deste domingo, ou a 1h da segunda-feira no horário dinamarquês, encontrava me adormecido. Não sei como forjou o print - mas não é algo difícil, exige apenas um pouco de tempo no photoshop, ou a criação de uma conta fraudulenta para se enviar a mensagem.

Ressalto que não é da esquerda o "filósofo"
que acha que "vai tomar no cu" é argumentação

Suspeito eu que meus textos tenham irritado esse senhor, ou melhor, o indivíduo que se esconde por trás deste perfil. Da mesma maneira, o MPL e outros movimentos sociais tem incomodado, e muito, esses "opinadores". Só isso para justificar as tentativas de repressão emitidas por um PM nas postagens do vídeo da prisão de Sandovan Vivan Eichenberger, ou as insinuações (por parte do senhor que agora forjou uma ameaça de minha parte) de que o MPL teria ameaçado policiais e invadido casas. 

E é claro, o engodo lhes dá argumento para fazer outra coisa, deliberada: pintar a esquerda como um todo como "psicopatas violentos", vândalos e arruaceiros. Tentam invalidar a discussão de todas as maneiras baixas e rasteiras possível; primeiro era a alegação de "comunistas". Depois, o meme ridículo do "MAV-PT", como se militância fosse algo vergonhoso, que outros partidos não tivessem militantes online, e pior: que qualquer um que não é da direita é obviamente um militante pago pelo PT para implantar a ditadura comunista no Brasil. Agora, como demonstrado pelo capitão Venera, e o senhor Tsö Raz, é inventar ameaças. 

Essa é a tão ética e correta extrema-direita (e que não raro se diz centro): Enquanto se pagam de os justos, corretos e éticos, apelam para mentiras, distorções, fraudes e espantalhos como argumento. Forjam declarações, fazem teatrinhos ridículos e assassinam reputações, sem qualquer preocupação com a ética. Ou com a lei; Senhor Raz, ou quem quer que realmente seja, o que fez é um crime:
Art. 138 - Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime: 
Pena - detenção, de seis (seis) meses a 2 (dois) anos, e multa. 
Art. 139. Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação: 
Pena - detenção, 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa."''
  • "Art. As penas cominadas neste Capítulo aumentam-se de um terço, se qualquer dos crimes é cometido:
I - contra o Presidente da República ou contra chefe de governo estrangeiro;II - contra funcionário público, em razão de suas funções;III - na presença de várias pessoas, ou por meio que facilite a divulgação da calúnia, da difamação ou da injúria;IV - contra pessoa maior de 60 (sessenta) anos ou portadora de deficiência, exceto no caso de injúria.Parágrafo único. Se crime é cometido mediante paga ou promessa de recompensa, aplica-se a pena em dobro."''


E para constar - a última mensagem que enviei para alguém
fora da minha lista de amigos foi em dezembro. Como parte de
uma denúncia de conteúdo abusivo. 
A sua tentativa de intimidação contra a minha pessoa não vai funcionar. Quem me conhece sabe que é uma fraude o que diz. Diz que te ameacei? Pois bem, deixo aqui uma ameaça, não de violência, mas de justiça: eu vou descobrir quem você realmente é, e onde mora. E quando eu o fizer, irá responder na justiça pelo que diz. Que fique claro, Raz: você não vai me calar. Se qualquer coisa, só me deu fôlego extra. Estou pronto para que o indivíduo alegue que eu o agredi em uma manifestação, ignorando completamente o "pequeno" detalhe que eu estou do outro lado do oceano, só para começar. 


Repito a "ameaça", Raz - ou seja lá quem você for, embora eu tenha minhas suspeitas - a justiça o aguarda. Ter me bloqueado não vai mudar isso. Apagar suas alegações, menos ainda - o dano a minha reputação já foi causado. O crime está feito. As linhas estão escritas. Agora, é questão de descobrir quem você é, apenas isso. 







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário